DIFERENTES ESTÍMULOS: FUNDAMENTAL PARA VOCÊ PROTEGER O SEU CORPO E EVOLUIR NA CORRIDA

Como todos sabem o papo aqui é Trail Run. Buscamos sempre mantê-los atualizados sobre dicas de trilhas, resumos de provas, entrevistas com personalidades do mundo trail e um pouco das tendências do esporte.

Como todos também sabem, nem sempre temos tempo e disponibilidade de corrermos na trilha toda semana. E isso pode acabar sendo positivo!

Não… Eu não estou louco! Vou explicar a vocês.

Os treinamentos em trilha são geralmente bem puxados e desgastantes. Quase que o tempo todo, nossos joelhos e articulações são impactados pela variação de terreno, fortes subidas e principalmente descidas, que é aonde geralmente “nos emocionamos” e cometemos um dos grandes erros dos corredores de montanha, que é atacar a descida como se não houvesse amanhã.

Esse desgaste excessivo pode acarretar em problemas físicos, principalmente para os atletas amadores, que geralmente estão menos preparados que os profissionais, e também para aqueles que não fazem nenhum trabalho de reforço muscular.

Por conta de tudo isso, é bom variarmos nossos treinos. Ao menos uma vez por mês, faça um treino diferente. Tente correr em outro terreno, aonde você encontre menos impactos e diferentes estímulos.  Isso será fundamental para o seu desenvolvimento!

Vou dar um exemplo:

Estou treinando atualmente com foco principal no APTR de Arraial do Cabo, dia 26/11, na distancia de 27k. É uma prova dura, com mais de 1000 metros de elevação!

Fiz dois treinos simulados, aonde percorri distancias parecidas (11k e 12k, respectivamente), com elevações em torno de 600 metros cada um, com trechos  extremamente íngremes, trechos de areia fofa, trilhas e com paces de 8 pra 1 e 10 pra 1.

Os treinos foram válidos? Sem sombra de dúvida! Além de treinar situações que vou pegar na prova, peguei mais confiança também.

Porém, na semana passada, fiz este treino diferente. Corri aqui por Niterói, nos bairros de Icaraí, Ingá, Centro, Gragoatá, Boa Viagem e São Francisco. Meu objetivo era caçar subidas, onde quer que elas estivessem.

Não eram subidas tão íngremes e pesadas como as nas trilhas, porém o resultado também foi ótimo!

Consegui atacar mais as subidas, fiz o treino todo sem precisar andar, e num pace mais baixo.

Foram 14k, com 350 metros de elevação e com pace na casa dos 6 pra 1. Foi muito bom, para me dar confiança, variar meu treino e receber diferentes estímulos e acostumar o corpo para qualquer situação.

Por isso, meu nobre corredor, seja amigo do seu corpo e varie seus treinos. Você só tem a ganhar!

Ah… E não se esqueça de sempre procurar orientação de um profissional e de fazer seus exames médicos periodicamente.

Forte abraço, e boas trilhas!

Comentários estão fechados.