POR DENTRO DE UMA PROVA DE TRILHA – PARTE 2

Dando continuidade ao post do último dia 30/01, hoje vamos escrever a segunda, e última, parte do nosso relato. Vamos nessa!

Após a minha queda, demorei um pouco pra me recuperar. Tive que andar bem devagar por alguns metros, pra saber se estava tudo ok comigo. Pancadas na cabeça são muito perigosas, e temos que tomar muito cuidado!

Passei por um staff mais ou menos pelo km 8. Ele tinha sido avisado por algum atleta sobre a minha queda, e prontamente me ofereceu ajuda, perguntou se estava tudo bem e se eu queria concluir a prova. Como já estava um pouco melhor, agradeci e segui em frente.

Felicidade no meio do mato!

Continuei minha prova, porém o que mais me incomodava nem era a pancada na cabeça, e sim as dores no joelho, que bateu forte no chão também na hora da queda. Correr com dor no joelho não é nada bom.

Segui em direção ao segundo posto de hidratação, sem antes não passar por uma cena que acontece bastante.

Estava ultrapassando um outro corredor, e percebi que ele passava por dificuldades. Não carregava com ele nenhum equipamento de hidratação, e estava visivelmente desgastado e com muita sede. Parei, e ofereci um pouco da minha água pra ele. Ele obviamente aceitou, e me agradeceu demais!

Não é a primeira vez que isso acontece comigo. Pessoal, tomem muito cuidado com isso! Se preparem sempre muito bem para provas de trilha e não deixem de levar sua mochila ou cinto de hidratação, mesmo se for uma prova curta.

Mais ou menos após o km 10, cheguei ao segundo posto de hidratação. Como indicado, parei, enchi minha garrafa e tomei o isotônico oferecido pela organização. Isso é muito importante!

Dali pra frente, após uma pequena e íngreme e subida, foi só felicidade! Do km 11,5, já dava pra ouvir a festa da arena de chegada… A sensação é de felicidade plena!

Fechei os 12,5km da prova em 2 horas e 3 minutos. Mesmo com a queda, e todo o tempo perdido por causa disso (uns 10 minutos), baixei em 8 minutos em relação a etapa da Correr no Mato no Fazenda Hotel Jathay, em Agosto. Provas com a mesma altimetria, 625m.

Final de prova e medalha no peito!

E não acabou por aí…

Como escrevi no post anterior, estava participando da organização da prova, lembra?

Era hora de voltar pro hotel, tomar um banho e organizar a premiação… E foi tudo um sucesso!

No pódio com a galera que põe a mão na massa… Orgulho de fazer parte deste time!

A noite, toda a equipe saiu pra jantar e comemorar… Nós merecíamos!

Não posso terminar, sem antes deixar de agradecer a todos os parceiros que acreditaram no projeto e nos apoiaram nesta batalha: Polícia Militar de Minas Gerais, Padaria Água na Boca, Zalaz Cervejaria, Moove Design, Equipic, Shape Suplementos, Meias Young e Premier Parc Hotel. Muito obrigado!

Bom, essa foi apenas a primeira… Vem muita coisa boa por aí!

Obrigado e boas corridas!

 

 

Comentários estão fechados.